quarta-feira, 14 de julho de 2010

A dor e a delícia de ser o que é

Cada um sabe a dor
e a delícia de ser o que é
(Dom de Iludir, Caetano Veloso)







Estava pensando na maestria deste trecho do poeta Caetano Veloso. Quantas vezes não somos persuadidos e confrontados a mudar nosso jeito de ser, como se tivessemos que anular a nós mesmos, descaracterizando nosso eu; como se fossemos seres com defeito de fabricação, não dignos de merecer algo, criticados por não ter determinada virtude ou comportamento, açoitados pela necessidade de seguir um padrão de domesticação que não tem nada a ver com o que queremos. Estou com Caetano Veloso, "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é". Não há maior liberdade do que ser nós mesmos, com delícias e dores.

Um comentário: